Algumas leituras, portfólio… texto, fotografia, artesanato, comunicação visual.

Post “the flash”

Olá, meu nome é Milena e eu estou há 7 meses e 14 dias sem escrever nesse blog.

E não, eu não sou uma blogueira compulsiva, mas quis registrar aqui um certo sentimento de culpa por ficar tanto tempo sem dar as caras. E registrar também que ainda não vai ser dessa vez que voltarei. Na verdade essa aparição “the flash” foi só pra dizer que apesar de ter um pé atrás com a astrologia, a previsão de hoje resolveu curtir com a minha cara de “estudante nos finalmente da sua graduação” (sim, estou chegando lá, pra felicidade geral, no final da minha segunda graduação)!

Não são as pessoas que dificultam a realização dos objetivos. Perceba os muros que você mesmo criou. Momento em que deve agir com muita maturidade e responsabilidade, fortalecendo vínculos. Questões envolvendo parcerias, relacionamentos, amizades e projetos conjuntos estão em foco.

“Paft!” (esse é o som do tapa que o horóscopo me deu).

E assim falou, disse e fez a astrologia da pisciana aqui.

Hare Baba!²

Um monte de gente já me perguntou como foi “tudo” lá a Índia. E eu bem que tentei manter o blog atualizado no período da viagem, mas infelizmente não deu. Segue aqui então meu post sobre essa aventura, que por sinal, saiu hoje no Jornal O Dia, por intermédio da querida jornalista Biá Boakari.

Janeiro de 2010 vai ser sempre um capítulo especial pra mim. E como vocês podem ver nas fotos… sim sim, eu fui pra Índia! A terra dos “Hare Babas”, das centenas de deuses, dos saris coloridos, das vacas sagradas, do trânsito caótico…

Mas, vamos por partes! Conheci a Índia por intermédio da Fundação Rotária e do programa para jovens profissionais IGE (Intercâmbio de Grupo de Estudos), no qual 5 jovens, das mais diversas áreas, vão para um outro país a fim de conhecer sua cultura e trocar experiências sobre suas profissões. Foi assim que eu conheci o advogado Johnatas Machado (líder do grupo e rotariano), o engenheiro de pesca Rafael Reis e as duas dentistas, Lara Cândido e Rejane Queiroz, que junto comigo toparam essa aventura.

A Índia é mesmo o país do “8 ou 80” como se diz por aqui. São tantos contrastes e tudo é tão peculiar que não tem comparação. Uma das coisas mais interessantes e surpreendentes de se ver é a Fé que aquele povo tem. Em tudo e por tudo. Da carne vermelha que eles não comem aos templos suntuosos, tudo é movido pela fé e tudo é motivo pra festejar!

Até mesmo o encontro do rio Ganges com os rios Jamuna e Saraswati, é tão místico, que milhares de pessoas se juntam para tomar banho, lavar as roupas, os pecados e as mazelas naquelas águas sagradas.

Incrível também é o carinho que eles tem com seus visitantes. Colares de flores, sinais de boas-vindas (aquela tinta na testa), as melhores instalações, comidas, as melhores roupas. Tudo pra o convidado se sentir bem. E “Namastê” (saudação) em todas as ocasiões!

Passamos por muitos lugares especiais, mas não tem como não dizer que conhecemos um dos lugares onde Buddah fazia suas pregações; a cidade de Varanasi, onde fizemos um passeio pelo rio Ganges; Khajuraho, cidade turística onde conhecemos 12 dos vários templos que existem lá; Allahabad, onde vimos uma multidão festejar o encontro de 3 rios e Agra, onde nos deslumbramos com o Taj Mahal.

Foram 30 dias de viagem pelo estado de Uttar Pradesh, umas 15 cidades dos nomes mais estranhos possíveis (Lucknow, Lakhimpur, Renukoot, Satna, Gorakhpur…), muita pimenta (sim, a comida indiana faz qualquer acarajé parecer doce de criança, tem que ser muuuito forte pra agüentar), músicas, festas (tipo as de Caminho das Índias mesmo), frio, alguns perrengues, mas muitos deuses, um povo acolhedor, um motorista que era uma figura e vai deixar saudades, um casamento (onde fomos de penetras e adoramos), amizades pra sempre e muitas, muuuuitas histórias pra contar, além de mais de 5.000 fotos e vídeos.

Tem gente que diz que todo mundo que vai à Índia volta diferente. Bom, eu não virei budista, nem hinduísta e nem mesmo vegetariana, mas aprendi muita coisa, sobretudo sobre mim mesma. E isso não tem preço.

Só mais uma curiosidade: não, eu não fui pra Dubai. Uttar Pradesh Índia e Dubai não são como Teresina e Fortaleza. Na verdade os Emirados Árabes, onde fica Dubai, são bem longe de onde estávamos, na Índia. Mas nós conhecemos o Taj Mahal, um monumento ao amor e uma das coisas mais lindas que já vi na vida! Tudo bem que eu sou jovem e ainda pretendo conhecer um montão de coisas, mas o Taj Mahal… ahh.. o Taj…

*detalhe: de tão longe que são os lugares, um do outro, nem o Google conseguiu traças uma rota!


Enquanto ainda estou aqui na Índia, recebo este e-mail do meu irmão:

E aí dooooido!!
Cuma vai aí!?
A mamãe dizendo aqui q axa q tu ja quer vir embora, e eu k comigo, rpz ela vai esticar o carnaval la pro rio, quer apostar quanto como ela vai ligar e dizer:

(Mili)  – Mãe, como é q ta aí?
(Mãe) – Oul minha filha to com muita saudade, venha embora logo!
(Mili)  – Ei mãe, é q a Eliz disse q se eu quizer eu posso passar o carnaval la com ela!
(Mãe) – Eita Milena q tu inventa… tu sabe q num da certo… oul meu Deus!! Venha embora!!

Passei mal de sorrir! Ele me conhece tão que dá até medo!

*pra quem não sabe, saindo da Índia, passo uns dias na Europa, de lá volto pro Brasil e pra chegar em Teresina, passo pelo Rio bem no meio do Carnaval… ow tentação…

Em manutenção

daqui uns dias eu volto…

namastê!

Aline – coração

E na correria pré-viagem, abro meu e-mail e…

“mili,
eu super tenho plano de te ver antes da viagem, mas como ainda estou trabalhando e vc deve estar cheeeeeia de mil coisas de última hora pra resolver, acho que devo ir logo me garantindo por email mesmo. cá estou. para desejar feliz ano novo e pra dizer que vou ficar aqui torcendo pra ser tudo lindo na viagem. que você faça descobertas que transformem o seu mundo, que conheça pessoas que completem a sua vida, que aprenda lições eternas, que se sinta livremente presa a essa sensação de liberdade, de atravessar o oceano pra ver como é que é a vida do lado de lá e voltar pro lado de cá trazendo uma milena cheia de novidades e ideias na cabeça. começar o ano assim, voando para o desconhecido, só deve mesmo significar coisas boas. então, aproveita [inclusive por mim rsrsrs] cada minutinho que você passar longe. e, deixe-nos sempre informados!
boa viagem, querida. que jesus te acompanhe.

manda beijo grande pra haidyne quando encontrar com ela. e presta atenção a todos os detalhes em paris! fotos fotos fotos

beijão. Arrasa!!!!


AlineNeves
www.bemaquiassim.wordpress.com -“

Ela é uma fofa! Vibrou tanto quando ficou sabendo da minha viagem que até parecia que ela era quem ia viajar! Mas a Aline é assim mesmo, vibra com e pela gente, e eu adoro!

Adorei o e-mail gatan! Brigadão pela torcida e pelo pensamento positivo.